Você está aqui

Com mais de 730 encomendas, estaleiros brasileiros investem em capacidade para atender demanda até 2020

Em 2012, a Navalshore, encontro do setor naval e offshore que acontece no Rio de Janeiro, de 1 a 3 de agosto, cria pavilhão exclusivo para o encontro dos estaleiros, principal público comprador da indústria.

A indústria naval brasileira conta atualmente com 47 estaleiros em funcionamento no País. Segundo o último levantamento do SINAVAL (Sindicado Nacional da Indústria da Construção e Reparação Naval e Offshore), realizado no primeiro semestre de 2012, a construção de outros 11 estaleiros já foi iniciada e nesta última semana o FMM (Fundo da Marinha Mercante) liberou cerca de R$ 1,4 bilhão para a construção de mais cinco estaleiros e 104 embarcações para os setores navais e offshore. Os investimentos auxiliarão no atendimento do programa de exploração e abastecimento de petróleo no Brasil e apoiará o transporte de mercadorias no interior e na costa do país.

Para atender à demanda de 730 encomendas até 2020, os estaleiros, principal público comprador do setor, contarão com pavilhão exclusivo na Navalshore 2012 ? Feira e Conferência da Indústria Naval e Offshore, que acontece no Centro de Convenções SulAmérica, no Rio de Janeiro, de 1 a 3 de agosto. Segundo o gerente da feira, Michael Fine, o objetivo do Pavilhão Estaleiros do Brasil é ?valorizar o trabalho e o desenvolvimento da indústria nacional e oferecer um ponto de encontro para todos os profissionais dos estaleiros do Brasil que visitam a feira?, explica o executivo, que acrescenta: "Na edição de 2011, 80% dos estaleiros nacionais estiveram no evento e, este ano, acreditamos que aumentaremos essa adesão".

Com o apoio da ABENAV (Associação Brasileira das Empresas de Construção Naval e Offshore) e do SINAVAL, o Pavilhão Estaleiros do Brasil tem a participação do Estaleiro Mauá, que recentemente entregou à Transpetro o novo navio Sérgio Buarque de Holanda, o terceiro do Programa de Expansão e Modernização da Frota. Segundo a assessora de marketing, Milena Barcelos Soares, entre outros projetos em curso no estaleiro está a construção de outros navios-tanques para a Transpetro e a construção dos módulos topside, em parceria com a empresa SBM, além da integração do FPSO Cidade de Ilhabela. "Com relação ao Plano de Expansão, o estaleiro prevê um investimento de US$ 114,1 milhões em suas instalações, dos quais US$ 102,7 milhões foram financiados pelo FMM. Os galpões onde se faz o trabalho de solda de painéis serão ampliados e também será construindo um dique flutuante, orçado em US$ 12 milhões", explica.

Pertencentes ao mesmo grupo, os estaleiros Eisa e Eisa Alagoas - atualmente em fase de construção - também estarão no Pavilhão Estaleiros do Brasil, na Navalshore. Segundo Milena, a expectativa do grupo é de que o atual volume de encomendas em todos os estaleiros se prolongue por mais cinco anos.

Também no evento, o estaleiro Top Boats, especializado em embarcações do tipo workboat, oferecerá soluções para o lançamento de barreiras de contenção de óleo, transporte de carga e passageiros. Todos os seus modelos de embarcações destina-se ao apoio de embarcações maiores.

Participam ainda da Navalshore estaleiros de grande representatividade, como TCE e Sea Port. O primeiro, presente no País desde 2004, está voltado para reparos navais e industriais; já o segundo tem intensa atuação no Ceará, onde inaugurou, recentemente, suas operações em mais uma cidade do Estado, desta vez em Camocim. O novo estaleiro fará reparos em rebocadores de médio porte e, em breve, passará também a construir balsas oceânicas de grande porte, do casco duplo, usadas para transporte de óleo diesel.

Feira - Este ano, a Navalshore terá 11 mil m² de área de exposição reunindo as últimas novidades em produtos e serviços para construção e reparo naval, equipamentos e suprimentos para estaleiros, além de soluções para o setor de petróleo e gás.

Ao todo serão 350 expositores nacionais e internacionais, sendo que 50 estão participando pela primeira vez, de 17 delegações estrangeiras oferecendo oportunidades de negócios e networking para profissionais vindos de mais de 40 países. A expectativa é que, ao longo dos três dias, mais de 15 mil pessoas passem pelos pavilhões. Na edição de 2011, de acordo com o levantamento realizado pela organização, 80% dos estaleiros do Brasil, oriundos de 10 estados diferentes, participaram da feira.  

O evento, organizado pela UBM Brazil, conta com os Patrocínios Diamante da Transpetro e da Caixa Econômica Federal, e com o Patrocínio Ouro da Aveva. Também tem o apoio da Abeam (Associação Brasileira das Empresas de Apoio Marítimo), Sinaval (Sindicato Nacional da Indústria da Construção e Reparação Naval e Offshore), Abenav (Associação Brasileira das Empresas de Construção Naval e Offshore), Syndarma (Sindicato Nacional das Empresas de Navegação Marítima), e da ABS (Associação Brasileira de Soldagem). 

Fonte: Portos e Navios - http://www.portosenavios.com.br/site/noticias-do-dia/industria-naval-e-offshore/17871-com-mais-de-730-encomendas-estaleiros-brasileiros-investem-em-capacidade-para-atender-demanda-ate-2020